Adsense

DIVINO FOGÃO ITABUNA

DIVINO FOGÃO ITABUNA



Polícia japonesa supera expectativas em visita às bases da Bahia


Polo nacional de disseminação do policiamento comunitário, a Bahia se despede dos policiais japoneses que, por cerca de um mês, realizaram visitas às Bases Comunitárias de Segurança (BCS). Um encontro realizado na manhã desta sexta-feira (29), no Comando Geral da Polícia Militar da Bahia (PMBA), no Quartel dos Aflitos, em Salvador, encerrou a etapa de troca de experiências na área de segurança pública entre os dois países.


Resultado de convênio firmado entre a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) e a Agência Internacional de Cooperação do Japão (Jica), a vinda da comitiva japonesa foi realizada com o intuito de os japoneses acompanharem e avaliarem o método Koban, criado naquele país e executado pela PMBA por meio das BCS. 
“Foi uma experiência pioneira no Brasil, essa total imersão da Policia Nacional do Japão convivendo numa base de policiamento comunitário com a ideia de transformar, a longo prazo, numa base modelo que seja multiplicadora da doutrina Koban”, explica o representante da Senasp, Luciano Ribeiro. 


Na opinião do superintendente de prevenção à violência da Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP), Admar Fontes, a presença da comitiva japonesa no estado amplia a responsabilidade e credencia a execução do programa Pacto pela Vida. “Eles ficaram dois dias na Base de Vitória da Conquista, dois dias na de Feira de Santana e duas semanas no Bairro da Paz. Eles fizeram muitos elogios. Isso nos deixa muito contentes e deixa a Polícia Militar em evidência. Chancela o trabalho vitorioso, que é o trabalho de polícia comunitária na Bahia”, afirma o superintendente. 

Trabalho em prol da comunidade 

Durante as visitas, o especialista da polícia japonesa Koichi Maruyama e o inspetor-chefe de polícia na cidade de Osaka, Katsushige Higashi, conheceram bases da capital, Feira de Santana e Vitória da Conquista. Para o inspetor, o policiamento comunitário desenvolvido na Bahia superou as expectativas, com destaque para o Bairro da Paz, onde ele observou a boa relação entre a BCS e a comunidade. “Vi muitas cenas de policiais trabalhando realmente em prol da comunidade. Soube que a base do Bairro da Paz está lá há quase quatro anos. Senti bastante vigor, vitalidade [da atuação de policiamento comunitário] na região”, diz Higashi. 

O comandante da BCS Bairro Bairro da Paz, capitão PM Henrique Alves, ressalta que “foram 15 dias em que os policiais japoneses puderam acompanhar toda a nossa rotina, desde visitas, projetos sociais, rondas, pontos de abordagem e reuniões com a comunidade”. 

0 comentários:

Postar um comentário

Não será publicado comentário ofensivo ou com palavras de baixo calão,nem será aceito qualquer tipo de preconceito