CAMP. CÂMARA - 2017

CAMP. CÂMARA - 2017

DIVINO FOGÃO DE ITABUNA

Adsense




Agentes Comunitários de Saúde atuam pela qualidade de vida

da população

Atualmente Itabuna conta com 419 Agentes Comunitários de Saúde (ACS) também conhecidos como os “Vigilantes da Saúde” contratados pela Secretaria Municipal de Saúde. São eles que, uniformizados, com uma mochila nas costas e conhecimento na área territorial de prevenção da saúde, visitam diariamente os bairros da cidade e batem de porta em porta para saber como anda a saúde das famílias cadastradas pelo Sistema Único de Saúde (SUS).


Em cada visita, os ACS procuram saber, principalmente de pessoas de grupos prioritários (idosos, crianças, portadores de doenças degenerativas como o diabetes e pacientes acamados, etc.) se estão se cuidando bem, se vão às consultas regulares e pré-agendadas. Ainda, se levam pedidos de exames ou fazem encaminhamento para procedimentos médicos, além de conversar e orientar da melhor maneira possível para que cada pessoa tenha uma qualidade de vida mais saudável.
“Os Agentes Comunitários de Saúde tem um papel de fundamental importância na vida de cada família, indo desde o acolhimento, o que permite a criação de vínculos, até o planejamento de ações e programas dos Governos federal, estadual e municipal. São os profissionais que conhecem de perto a situação e a necessidade de cada família em qualquer parte da cidade”, explica a coordenadora do Programa de Agentes Comunitários de Saúde de Itabuna (PACS), enfermeira Margarida Amorim. 
Segundo a coordenadora nenhum sistema de saúde pode ter organização e planejamento se não considerar o trabalho de base que é feito pelos ACS. “A partir do vinculo que é criado com as visitas e com a confiança adquirida no dia a dia, os agentes atuam em benefício da saúde da população”, diz Margarida, que lamenta, entretanto, que, por desinformação, algumas pessoas vejam os ACS como inimigos a ponto de não os receber bem, não permitir o acesso deles ao interior da residência e até se negar a fornecer informações sobre o histórico da saúde das famílias.
Margarida diz ainda que atualmente, depois de mais de 20 anos de implantado em Itabuna, o Programa de Agentes Comunitários de Saúde tem o reconhecimento da atual gestão, que oferece apoio e boas condições de trabalho. “Tanto o prefeito Claudevane Leite quanto o secretário de Saúde, Paulo Bicalho, têm valorizado esse profissional, cuja missão é zelar pela saúde da coletividade”, afirma, apostando que a partir da disseminação de informações corretas sobre o trabalho que desenvolvem mude a realidade com a consequente melhoria das condições de vida.


            RECONHECIMENTO

O secretário municipal de Saúde, Paulo Bicalho, destaca o papel do Agente Comunitário de Saúde, lembrando que é este profissional o responsável pelo desenvolvimento de ações que visam a integração da equipe de saúde às Unidade Básica de Saúde.  “Esse elo é potencializado pelo fato de que os ACS residem na própria comunidade onde atuam. Portanto, conhecem bem cada família e o que precisa para ter saúde de qualidade. Por isso é preciso o reconhecimento da comunidade para que possam realizar bem o trabalho que fazem no cotidiano”, reforçou.
“Infelizmente ainda falta conhecimento de parte da comunidade sobre o que é que faz o Agente Comunitário de Saúde visando garantir a saúde, o bem- estar das pessoas”, afirma Gerson Luiz dos Santos, há oito anos atuando na profissão. Já Ana Célia Teixeira, com 20 anos de atividade, também confirma a dificuldade que enfrenta no dia a dia. “Realmente falta reconhecimento de algumas famílias por não saber o que trabalhamos para que estejam bem. Mas temos a preocupação permanente com a educação em saúde, prevenção de doenças e de promoção da saúde no próprio domicilio”, diz.

0 comentários:

Postar um comentário

Não será publicado comentário ofensivo ou com palavras de baixo calão,nem será aceito qualquer tipo de preconceito