CAMP. CÂMARA - 2017

CAMP. CÂMARA - 2017

DIVINO FOGÃO DE ITABUNA

Adsense




Itabuna- LANÇAMENTO DO LIVRO DE JOSELITO REIS

Joselito dos Reis lança o seu primeiro livro
Um grito em busca de um eco que se perdeu nos limites do tempo
Com prefácio do professor Raimundo Osório do Couto Galvão e apresentação do jornalista Nilson Andrade da Silva, ambos já não mais entre nós, o poeta e jornalista Joselito dos Reis lança o seu primeiro livro de pensamentos e poesias, intitulado Grito Sem Eco, programado para o dia 27 deste mês, às 19h, no Centro de Cultura Adonias Filho, em Itabuna.
O livro conta ainda com as participações dos jornalistas: Rosi Barreto, Waldyr Montenegro, Odilon Pinto, Paulo Lima e da professora Zélia Possidônio que também é poeta e atriz, aparecendo com uma reflexão e um grito existencial num mundo perdido pelo individualismo e pelo consumismo.


Com uma tiragem de mil exemplares, numa produção independente, o poeta que esperou 36 anos para lançá-lo, diz que a publicação do livro só foi possível devido a sensibilidade e a colaboração direta do empresário Delson Mesquita, da Editora e Gráfica Mesquita, que ofereceu o apoio decisivo e embarcou de cabeça no projeto editorial, cuidando dos detalhes e da arte final.  
O poeta diz ainda, que o livro tem esse título – Grito Sem Eco, porque no passado cada pessoa no campo ouvia o eco do seu próprio grito transpirando nos vales e montanhas, o que não acontece nos dias de hoje devido a poluição que impregnou nossas ruas ou até mesmo o nosso espaço sideral infestado de gadgets e equipamentos dos mais diversos. 
“Ao leitor, cabe adquirir o livro e descobrir muitos outros conceitos que transcendem aos limites de uma poesia lírica, romântica, social, sempre numa linguagem clara e direta, que perpassa de forma transversal o campo das metáforas, para, com certeza, sensibilizar mais ainda aqueles que buscam a essência das coisas e são sensíveis ao universo que nos cerca”, diz o poeta que espera construir em cada leitor um amigo e um portal para a difusão e troca de ideias sem perder a dimensão maior da poesia que nos une e nos torna humanos e fraternos.

0 comentários:

Postar um comentário

Não será publicado comentário ofensivo ou com palavras de baixo calão,nem será aceito qualquer tipo de preconceito