i

i

NP

NP

PRF

PRF

cm

cm

Adsense




A Vereadora Charliane diz que Ministra da Agricultura poderá visitar sul da Bahia e participar do Dia Internacional do Cacau

A ministra da Agricultura Tereza Cristina Corrêa da Costa Dias poderá visitar o sul da Bahia, no próximo mês de junho, para conhecer de perto as questões que envolvem a economia cacaueira, visitar a Sede Regional da Ceplac e manter contatos com as lideranças agrícolas e políticas da região. O convite, segundo a vereadora Charliane Sousa, do PTB, foi feito em Brasília, na última quinta-feira, dia 21, pelos deputados Leur Lomanto Júnior e Pedro Tavares, do Dem, durante uma audiência com a ministra. (Saiba Mais, Click Abaixo)
 


A reunião foi solicitada pelo deputado federal Leur Lomanto. Do encontro, participaram o deputado estadual Pedro Tavares, o ex-deputado Ewerton Almeida, o cacauicultor Rui Souza, presidente do Instituto Pensar Cacau, e a vereadora itabunense Charliane Sousa. A comitiva apresentou à ministra diversas demandas para a recuperação da economia cacaueira, a preservação da Ceplac e o fortalecimento de lavoura do cacau.
 
“Na condição de vice-presidente da Câmara de Itabuna, eu representei o Legislativo itabunense e a ministra Tereza nos recebeu muito bem. Ela demonstrou interesse em solucionar as dificuldades enfrentadas pela lavoura do cacau e manifestou o desejo de vir à região cacaueira, em sua primeira viagem à frente do Ministério da Agricultura. Cacauicultores e lideranças políticas regionais estão se organizando e preparando uma grande recepção para ela”, disse Charliane.
 
A visita de Tereza Cristina ao sul da Bahia está prevista para o dia 02 de junho, durante as comemorações do Dia Internacional do Cacau. Membro da Bancada Ruralista da Câmara e presidente da FPA-Frente Parlamentar Agropecuária, a ex-deputada federal do Mato Grosso do Sul e atual ministra da Agricultura, conhece o agronegócio cacau. Nas últimas semanas, ela vem mantendo contatos com representantes dos cacauicultores.
 
O soerguimento da economia cacaueira, a reestruturação da Ceplac e o equacionamento das dívidas dos produtores de cacau, a utilização do patrimônio imobiliário do órgão em favor dos cacauicultores, o risco fitossanitário da importação do cacau em amêndoas e o regime “drawback” na importação do cacau da África são, segundo os agricultores, os principais pontos que atualmente afetam a cacauicultura baiana.
 
As lideranças agrícolas sulbaianas querem também que o Governo Federal incremente Agricultura Familiar, para gerar mais qualidade de vida, emprego e renda no campo. A ampla discussão da questão fundiária, das ocupações de terras e da situação vivida por trabalhadores rurais e agricultores, e o estímulo ao sistema cabruca e a preservação do Meio Ambiente são outras propostas.

0 comentários:

Postar um comentário

Não será publicado comentário ofensivo ou com palavras de baixo calão,nem será aceito qualquer tipo de preconceito