i

i

CV

CV

PRF

PRF

cm

cm

Adsense




Homem bate boca com filho sobre Masculinidade em sala de cinema

Mais um vídeo da campanha 'Masculinidade Tóxica', promovida pelo Governo da Bahia, foi divulgado nesta sexta-feira (7). No VT, o personagem interpretado pelo ator Miguel Vieira entra em uma sala de cinema ao celular em diálogo com o filho, antes do início da sessão, gerando nítido desconforto na plateia, que reage aos comentários machistas do suposto pai. 
(Veja o vídeo, Click Abaixo)



Click Play


“Por que que você está chorando?”, questiona o homem em voz alta, chamando a atenção do público. O personagem continua: “pare de frescura, que isso é coisa de menina [...] Eu estou te educando é pra ser homem, pra ser macho, rapaz”. Na sequência, após a reação dos presentes, a encenação do ator é interrompida por uma mensagem na tela do cinema: “O que você acaba de ver aqui não é educação. E nem é só falta de educação. É masculinidade tóxica, que faz mal aos homens e pode virar violência contra as mulheres”, diz o texto. No vídeo, publicado na página oficial do Governo do Estado no YouTube (youtu.be/8NUNb9zL2b4), o público reage à mensagem com aplausos. 

Dirigido por Rodrigo Maia, o vídeo foi gravado durante sessões nos cinemas Glauber Rocha e Paseo Itaigara, em Salvador, no último fim de semana. A campanha, realizada pela Secretaria de Comunicação Social (Secom), por meio da agência Tempo Propaganda, faz parte da ação 'Respeita as Mina', de enfrentamento à violência contra as mulheres, que tem como objetivo sensibilizar a população para o combate à cultura machista. A campanha marca também os oito anos da Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM-BA).

Outro vídeo da campanha, com outdoors, mídia eletrônica e digital, mostra o ciclo da violência doméstica e familiar e a relação com o padrão de masculinidade hegemônico. “Antes do tiro, o tapa. Antes do tapa, o grito. Antes do grito, o controle. Antes do controle, o machismo. Antes do machismo, a masculinidade tóxica”, pontua a campanha. 

Masculinidade nova

A masculinidade tóxica é definida por especialistas como uma ideia de masculinidade, construída socialmente, que considera a força e a agressividade como virtudes do homem, enquanto as emoções e os sentimentos são considerados fraquezas típicas das mulheres. Expressões como “homem não chora” e “homem que é homem não leva desaforo pra casa” são representativas de um padrão de masculinidade que estimula comportamentos agressivos.

A masculinidade tóxica faz mal não apenas às mulheres, mas aos homens que, por vezes, sofrem ao se perceberem fora do padrão estabelecido como o ideal. O propósito da campanha é estimular o debate e contribuir para que os homens se permitam viver uma nova masculinidade. Por isso, a campanha tem também o site (www.masculinidadenova.com.br), com artigos, depoimentos e informações de utilidade pública.

0 comentários:

Postar um comentário

Não será publicado comentário ofensivo ou com palavras de baixo calão,nem será aceito qualquer tipo de preconceito