i

i

CV

CV

PRF

PRF

cm

cm

Adsense




Homem Desaparece Após o Casamento, 68 anos depois a Esposa Descobre a Verdade

Você provavelmente já assistiu filmes como "Diário de uma Paixão" (The Notebook) e filmes similares. Histórias como essas, que pregam um amor puro, paciente e durável literalmente tende a mexer um pouquinho com a gente, não é mesmo? Por outro lado, por mais que gostamos de nos deliciar com histórias como essas, também é verdade que muitas vezes nos questionamos sobre a existência de um sentimento como esse. Será mesmo que apenas na ficção as pessoas parecem estar dispostas a amar dessa forma?
(Saiba Tudo, Click Abaixo)


Bom, se você também se fazia essa pergunta, saiba que a história de hoje, sem dúvida irá renovar as suas esperanças!
Você provavelmente já assistiu filmes como "Diário de uma Paixão" (The Notebook) e filmes similares. Histórias como essas, que pregam um amor puro, paciente e durável literalmente tende a mexer um pouquinho com a gente, não é mesmo?
Por outro lado, por mais que gostamos de nos deliciar com histórias como essas, também é verdade que muitas vezes nos questionamos sobre a existência de um sentimento como esse. Será mesmo que apenas na ficção as pessoas parecem estar dispostas a amar dessa forma?
Bom, se você também se fazia essa pergunta, saiba que a história de hoje, sem dúvida irá renovar as suas esperanças!
Em 1944, Peggy era apenas uma jovem que vivia no Texas, Estados Unidos. Naquele mesmo ano, ela conheceu um charmoso piloto que também era bastante jovem, seu nome era Billy Harris. Segundo relatos da própria Peggy, o que ela sentiu foi literalmente amor à primeira vista, e esse encontro impactante se transformou em pouco tempo em casamento!
Porém, apenas 6 semanas após o dia mais feliz de suas vidas, Billy foi convocado para uma missão na França, ele como piloto não poderia recusar a missão, mesmo estando praticamente em Lua de Mel.
Peggy compreendeu a situação de seu amado, e o acompanhou até o aeroporto, onde se despediu e viu Billy partir em destino a França.
Infelizmente o que Peggy não poderia imaginar, é que no dia marcado para o retorno de seu agora marido, ele simplesmente não apareceu! Os dias, semanas e meses se passaram e nenhuma carta ou informação foi recebida. Peggy tentou descobrir se algum incidente poderia ter ocorrido, mas ela não recebeu nenhuma informação que alegasse que Billy estava morto ou vivo.
Peggy nunca perdeu as esperanças, apesar de admitir que chegou a acreditar que o marido literalmente houvesse a abandonado.
Muitos anos se passaram, mais precisamente 70 anos, até Peggy finalmente descobrir o que foi que aconteceu e onde estava Billy Harris.
E tudo isso só foi possível graças a um parente de Billy, que depois de todo esse tempo encontrou em meio a documentos antigos, um postal daquele mesmo ano que ainda se encontrava fechado. Nele a explicação: O avião americano que Billy pilotava havia sido abatido sobre a Normandia, próximo a região da cidade de Les Ventes. O americano por sua vez não sobreviveu, e foi enterrado no cemitério local, na França.
Por fim, as dúvidas e a angustia tinham por fim acabado. Apesar de toda a dor, Peggy alega que saber o paradeiro de Billy, mesmo sendo trágico como este, a confortava de alguma forma.
Além disso, Peggy também recebeu algumas surpresas! Ela descobriu que Billy Harris era visto como um verdadeiro herói na região. Uma vez que o piloto possui apenas duas opções após ser atingido, ele poderia ejetar seu banco e cair sobre a cidade de Les Ventes, o que também resultaria na queda de toda a aeronave sobre a região, ou ele poderia simplesmente tentar distanciar o avião da rota da cidade, para assim, cair em uma área não urbanizada.
E adivinha só o que o piloto preferiu? Bom, mesmo existindo alguma pequena chance de sobrevivência caso optasse pela primeira opção, Billy decidiu proteger a cidade e seus moradores, e realizar dessa forma, um autos sacrifício.
Peggy obviamente não sabia de nada, e ficou extremamente comovida ao descobrir que uma das ruas da cidade, recebeu o nome de Billy D.Harris em homenagem a seu marido.
Peggy também conseguiu ter uma conversa e ser confortada pelo único homem vivo que foi testemunha do ocorrido. Guy Surlon, que aparece ao lado de Peggy na imagem abaixo, contou em detalhes tudo o que aconteceu a ela, e atualmente ela faz visitas anuais a França, apenas para visitar a sepultura de seu marido.

0 comentários:

Postar um comentário

Não será publicado comentário ofensivo ou com palavras de baixo calão,nem será aceito qualquer tipo de preconceito