i

i

BUE

BUE

CV

CV
CORTESIA DO BLOG

PRF

PRF

cm

cm

Adsense




Reunião no RGS discute (PNEFA); presidente do Sistema FAEB esteve presente

Em uma das maiores exposições agropecuárias do Brasil, a ExpoInter, que acontece na cidade de Esteio, no Rio Grande do Sul, o presidente do Sistema FAEB/SENAR, Humberto Miranda, participou hoje (30) de uma reunião nacional sobre o Plano Estratégico 2017-2026 do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA), 
(Saiba Mais, Click Abaixo)



que visa tornar o Brasil livre da doença sem vacinação, com reconhecimento da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e alinhado com as diretrizes do Programa Hemisférico de Erradicação da Febre Aftosa (Phefa), em prol também da erradicação da doença na América do Sul.


“É uma das discussões mais importantes da pecuária na atualidade e, hoje, aqui, com os maiores especialistas do País, o poder público e os principais representantes do setor, como a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e representantes de diversas Federações da Agricultura e Pecuária, estão sendo criadas condições para que os estados brasileiros possam promover ações para a suspensão da vacinação contra a febre aftosa. Transformar o Brasil livre da doença sem vacinação, é um passo fundamental para fortalecer ainda mais a pecuária brasileira”, explicou Humberto Miranda.

O Plano prevê a retirada total da vacinação no País até 2023. Atualmente, somente o estado de Santa Catarina tem o reconhecimento de zona livre de febre aftosa sem vacinação. O restante do país está reconhecido como livre com vacinação. Para execução do Plano, os estados foram divididos em cinco blocos pecuários, para que assim seja feita a transição de área livre da aftosa com vacinação para sem vacinação: Bloco I (Acre e Rondônia); Bloco II (Amazonas, Amapá, Pará e Roraima); Bloco III (Alagoas, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte); Bloco IV (Bahia, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Sergipe, São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal); Bloco V (Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina).
No Brasil, a vacinação contra Febre Aftosa é praticada em todos os estados e no Distrito Federal, desde 2007. A Bahia, com um rebanho de 10 milhões de cabeças de gado, está livre da doença há 22 anos, recebendo o status de Zona Livre da Aftosa, concedido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), nos últimos 18 anos de forma consecutiva.

0 comentários:

Postar um comentário

Não será publicado comentário ofensivo ou com palavras de baixo calão,nem será aceito qualquer tipo de preconceito