i

i

PRF

PRF

cm

cm

Adsense




FICC apoia jovem itabunense no Balé Bolshoi


A Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania apoia e acompanha o desenvolvimento do jovem bailarino Jadson Santos Reis, 14 anos, que há cinco anos estuda dança no Balé Bolshoi, em Joinville, Santa Catarina.  O seu exemplo tem sido referencial para um projeto a ser encaminhado pelo executivo ao legislativo, propondo a criação inicial de 10 de bolsas para estudantes e atletas com elevado potencial técnico.
(Saiba Mais, Click Abaixo)




Em Joinville, Jadson Santos Reis vive com uma mãe social e recebe da FICC ajuda para moradia e transporte. Ele sempre acorda cedo e pela manhã frequenta as aulas regulares do nono ano e ao deixar a escola, almoça no Balé Bolshoi, onde ensaia no período da tarde por quatro horas seguidas.

O jovem, que se forma nos próximos três anos, já participou da montagem de dois espetáculos, como O Quebra-Nozes,  um dos três balés compostos por Piotr Ilitch Tchaikovski, que se passa na casa de Clara numa noite de Natal e Don Quixote,  um espetáculo em quatro atos e oito cenas, baseado em episódios tirados  da imortal novela  Don Quixote de la Mancha de Miguel de Cervantes.

Jadson Santos Reis, nasceu no bairro Fonseca e é filho de uma  feirante e pai desempregado, projeta sua carreira no mundo do balé profissional e não descarta a possibilidade de procurar um emprego fora do Brasil, alçando voos no competitivo mercado internacional num mundo cada vez mais globalizado. Ele também promete voltar sempre a Itabuna, terra de suas raízes e contribuir com o seu trabalho na difusão do balé entre jovens.

Ele conta que descobriu o balé por acaso, acompanhando a um dos três irmãos que estudava num projeto de dança na comunidade onde morava. Motivado em função das aulas que assistia,  se inscreveu e foi aprovado aos nove anos no primeiro teste para o Bolshoi no Brasil.

Nestes cinco anos de curso intensivo em Joinville, Jadson Santos Reis destaca que participou de avaliações com representantes do Bolshoi no Brasil e de outros país, entre os quais Ivan Vasiliev, um bailarino russo conhecido internacionalmente, que venceu a Competição Internacional de Balé de Moscou em 2005 e os Grand Prix de Varsa e Perm em 2006, a quem tem como referencial e um exemplo para sua futura profissionalização, afinal não custa nada sonhar em voos altos e possíveis.



0 comentários:

Postar um comentário

Não será publicado comentário ofensivo ou com palavras de baixo calão,nem será aceito qualquer tipo de preconceito