i

i

PMI

PRF

PRF

cm

cm

Adsense




Se Não Tem Arroz, Comam Macarrão, Sugere Supermecados

 Quase 95% dos brasileiros consomem arroz e mais da metade o fazem no mínimo uma vez por dia, aponta Conab - Getty Images - Getty Images

Depois de se reunir com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o presidente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), João Sanzovo Neto, defendeu a substituição do consumo de arroz por macarrão. "Vamos estar promovendo o consumo de massa, macarrão, que é o substituto do arroz. E vamos orientar o consumidor que não estoque", disse..Em meio ao aumento no preço de alimentos, a sugestão levou logo a comparações com a frase "Não tem pão? Que comam brioches!", que virou lenda ao ser atribuída a Maria Antonieta, embora não haja registro de que tenha sido de fato dita por ela.

(Saiba Mais, Click Abaixo)



 A expressão virou símbolo da falta de entendimento da nobreza em relação às necessidades da população. De tempos em tempos, o brasileiro ouve uma sugestão de produto a ser substituído na mesa. Em setembro de 2014, diante de uma alta da inflação de alimentos, o então secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Márcio Holland, sugeriu que a população brasileira ficasse atenta para a possibilidade de substituir carne por aves e ovos.  Um estudo da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), publicado em 2015, menciona que "quase 95% dos brasileiros consomem arroz e mais da metade o fazem no mínimo uma vez por dia". O mesmo documento aponta que a preferência nacional de consumo é pelo arroz da classe longo fino, comercialmente conhecido como "arroz-agulhinha". Terra lembra que o aumento do preço do arroz é uma combinação de fatores, e muitos estão fora do Brasil. "Está acontecendo um choque que se dá, em parte, porque pode ter ocorrido aumento de demanda (pelo fato de as pessoas estarem mais em casa, e não pelo auxílio emergencial), e isso está combinado com a colheita de produtores internacionais ainda não ter começado e com exportações do Brasil terem aumentado significativamente.

0 comentários:

Postar um comentário

Não será publicado comentário ofensivo ou com palavras de baixo calão,nem será aceito qualquer tipo de preconceito