i

i

pmi

AG

AG

câm

câm

itac

itac

Chapa

Chapa

PRF

PRF

Adsense




Centro de Controle de Zoonoses busca parcerias para atividades em favor da saúde pública

 Depois de fazer um levantamento da situação atual e das ações suspensas em gestões anteriores, a nova coordenação do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Itabuna, vinculado à Secretaria Municipal de Saúde, vem desenvolvendo uma série de projetos e também buscando parcerias com órgãos do município como Procuradoria-Geral, secretarias de Agricultura e Meio Ambiente, Transportes e Trânsito e Segurança e Ordem Pública para reativar suas atividades voltadas para o trato com os animais sem referência, por envolver a saúde pública.

(Saiba Mais, Click Abaixo)






A coordenadora do CCZ, médica veterinária Ellen Gleicer Lima Santos, explica que na Procuradoria-Geral do Município, por exemplo, busca suporte legal para a aplicação de multas àqueles proprietários que deixam seus animais de grande porte (cavalos, gado bovino, etc.) soltos nas vias públicas, colocando em risco a vida de motoristas e pedestres.





A situação de maus tratos aos animais também é outra questão que precisa de atuação mais incisiva. “Para isso, precisamos contar com participação das Polícias Civil e Militar e do Ministério Público estadual para cumprir a lei”, diz a coordenadora. Ellen ressalta a importância de educar a população sobre a posse responsável desses animais, ou seja, quem adota um tem que ter compromissos, desde a alimentação, ao bem-estar e cuidado com a saúde.

Ela lembra que os programas de controle de doenças (zoonoses) são realizados por meio de monitoramento e manejo do animal, o que significa que o CCZ não é o responsável pela castração de animais saudáveis que tenham residência e cujo proprietário tenha condições de arcar com os valores do serviço veterinário.

“A castração feita no Centro de Zoonoses é para animais vadios, chamados de animais de rua, que podem transmitir doenças que atingem a população humana”, reforça Ellen. Segundo ela, a proposta é fazer a castração de animais adotados por pessoas de baixa renda mediante apresentação do Número de Identificação Social (NIS). “Muitos proprietários se aproveitam do serviço oferecido gratuitamente tomando o lugar de quem não pode levar seu animal de estimação numa clínica veterinária particular”, reforça.

Ellen Gleicer lembra também que o CCZ não é abrigo para animais de ruas saudáveis e sim uma instituição pública que atua na prevenção e no controle de doenças causadas por animais (zoonoses). “A nossa missão é executar programas de controle e de combate de doenças causadas por animais ao homem, o que pode se transformar num grande problema de saúde pública”, afirma.

O CCZ funciona de segunda a sexta-feira, das 8 às 16h30min, no bairro do Antique. Está aberto ao público para receber quaisquer denúncias relacionadas a animais por meio do telefone (73) 3212- 3439.

0 comentários:

Postar um comentário

Não será publicado comentário ofensivo ou com palavras de baixo calão,nem será aceito qualquer tipo de preconceito