i

i

CVR1

CVR1

PRF

PRF

cm

cm

Adsense




ZONA AZUL em ITABUNA- Se Prepare que a COBRA vai FUMAR!

 Depois de parecer favorável com emendas das comissões de Legislação e Finanças, o projeto de lei que modifica o Sistema de Estacionamento Rotativo de Itabuna (a Zona Azul) seguiu para análise da Comissão de Urbanismo e Serviços Públicos, presidida por Nem Bahia (PP). A proposta encaminhada pelo prefeito Augusto Castro (PSD) é embasada no projeto protocolado em março por Erasmo Ávila (PSD) e Israel Cardoso (PTC), presidente e primeiro-secretário da Câmara, respectivamente. Na época a dupla retirou a matéria de tramitação quando o relator Sivaldo Reis (PL) apontou vício de iniciativa.

Se a população não abrir o Olho, vamos ter outra empresa forasteira levando nosso suado dinheirinho e sem contar com a possiblidade de ser cobrado estacionamento do seu carro na porta da sua casa, isso em áreas urbanas (não comercial)

(Com a palavra, os VEREADORES!)

(Veja Tudo, Click Abaixo)



Relatando novamente a matéria por Legislação e Finanças, simultaneamente, Reis acatou emenda de Adão Lima (PSB) que destina parte das recursos financeiros oriundos das multas administrativas para ações de educação no trânsito e manutenção de conselhos municipais nas áreas de saúde, assistência social e infância e adolescência bem como constituir receitas dos respectivos fundos. A emenda sofreu ajustes, a pedido do prefeito, já que Adão queria fixar o repasse em 3% do faturamento líquido mensal do serviço tendo como beneficiário apenas o Fundo para Infância e adolescência (FIA).

Uma das principais mudanças na Lei 2.360/16, que instituiu a Zona Azul em Itabuna, trazidas pelo projeto do Executivo é a possibilidade de exploração do Sistema por meio da iniciativa privada ou consórcio de empresas, onde a concessionária seria escolhida por meio de licitação. A concessão seria por conta e risco da licitada e com tempo determinado. Outra alteração diz respeito a forma legal de definição das áreas urbanas onde haveria cobrança pelo estacionamento. Os locais seriam estabelecidos por decreto amparado em estudo prévio e parecer da Sesttran, ouvido o Conselho Municipal de Trânsito e observando o Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU). Essa medida, na visão do Governo, daria maior flexibilização já que atualmente essa definição é feita através de lei.

O projeto do prefeito está alterando o valor a ser cobrado nas vagas de motocicletas, motonetas e similares. A cobrança seria equivalente à metade do valor pago por condutores de veículos automotores. Outra novidade trazida no projeto é a possibilidade da exploração de serviço publicitário, comercial ou institucional, nas vias públicas, praças, logradouros e parquímetros pela concessionária.



0 comentários:

Postar um comentário

Não será publicado comentário ofensivo ou com palavras de baixo calão,nem será aceito qualquer tipo de preconceito