i

i

itac

itac

Chapa

Chapa

PRF

PRF

Adsense




Câmara dá novo passo rumo a tratamento de esgoto em Itabuna


O sonho de ver o esgoto tratado fica mais perto da realidade para moradores dos bairros Urbis IV, Jorge Amado, Lomanto, Nova Itabuna, além de Ferradas. É porque começou a ser aprovada na Câmara de Vereadores, na sessão de quarta-feira (17), a permuta da área onde será construída uma estação elevatória de esgoto no Maria Matos. O projeto (058/2021), enviado pelo Executivo em outubro, em regime de urgência, trata de trocar uma propriedade pública de 506,35 m² por outra particular de 235,939 m², pertencente à Jure Empreendimentos e Participações LTDA. 

(Saiba Mais, Click Abaixo)



Como frisou a Secretaria de Infraestrutura e Urbanismo, a referida permuta se deve à relevância de a área cedida ser estratégica para implantação daquela estação.

O presidente da Câmara, Erasmo Ávila (PSD), lembrou que o processo para Itabuna finalmente contar com uma estação de tratamento estava barrado há mais de 10 anos. Uma questão de saúde, interesse maior de todos os cidadãos. “É importante que a sociedade saiba do que estamos aprovando aqui”, conclamou.

Apreciando a proposta nas Comissões Técnicas, os relatores Solon e José Devaldo dos Santos (Nem Bahia)/PP levaram em consideração o fato de estarem há anos empenhados os recursos federais do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). “A não obtenção e registro da área poderia resultar na perda do recurso e o município perderia uma obra vital de saneamento”.

 

“Nova era”

A vereadora Wilma de Oliveira (PCdoB) acrescentou: “Precisamos sanar o problema do esgoto ir direto pro rio, temos que fazer o dever de casa. Já existe essa previsibilidade do Marco do Saneamento em nosso Brasil”.

Na mesma linha, Ronaldão (PL) lembrou: “Vai ser o início de uma nova era em Itabuna. Não adianta cobrar saúde se eu jogo esgoto no Rio Cachoeira e se o esgoto está a céu aberto nos bairros”. O edil Luiz Júnior (DC) citou o exemplo da Nestlé, que despeja água já tratada dentro do canal. “Esse projeto é um avanço na nossa cidade”.

Vale lembrar que o município havia desapropriado aquela área há anos, mas não concluiu a tempo as exigências legais para a posse. Quando buscou, o proprietário anterior já tinha vendido para o atual.

0 comentários:

Postar um comentário

Não será publicado comentário ofensivo ou com palavras de baixo calão,nem será aceito qualquer tipo de preconceito