Adsense

DIVINO FOGÃO ITABUNA

DIVINO FOGÃO ITABUNA



Má gestão e privatização dominam audiência relacionada à Emasa


Participantes da audiência pública relacionada à Emasa não pouparam críticas ao que consideraram falta de gestão na empresa de água e esgoto de Itabuna. O encontro, promovido ontem (10) pela Câmara de Vereadores no Centro de Cultura Adonias Filho, tratou do projeto de lei que autoriza convênio entre Prefeitura e Governo da Bahia em torno do saneamento itabunense. 


   
Sem polemizar, o procurador do município, Mateus Santiago, defendeu a legalidade do projeto. Segundo o advogado, a autorização legislativa permitiria que o Estado (Embasa) faça estudos de viabilidade em Itabuna para universalizar o abastecimento e o esgotamento sanitário na cidade. “Esse convênio não é absoluto, pode ser revogado a qualquer tempo”, ressaltou.
A privatização da Emasa gerou debates acalorados apesar de a diretoria da Embasa negar tal intenção, caso ocorra a transferência da gestão. 

A empresa estadual ainda refutou o apadrinhamento como critério na seleção dos servidores da Emasa que seriam absorvidos pela Embasa. Conforme os diretores, todo processo será monitorado pelo Ministério Público do Trabalho.
Várias pessoas se pronunciarem com sugestões, críticas, e perguntas; para uma desta última, a Embasa respondeu que a barragem do Rio Colônia será concluída independente da transferência da Emasa. 

No encerramento da audiência, o relator do projeto de lei, Carlito do Sarinha (SD), declarou que continuará ouvindo a sociedade antes de emitir o parecer dele.


0 comentários:

Postar um comentário

Não será publicado comentário ofensivo ou com palavras de baixo calão,nem será aceito qualquer tipo de preconceito