i

i

itac

itac

Chapa

Chapa

PRF

PRF

Adsense




Nota de Pesar- Aos 70 anos, despede-se Magali Mendes

 

Com tristeza, anunciamos o falecimento de Magali Mendes, diretora pedagógica e uma das idealizadoras e fundadoras do Colégio Oficina, aos 70 anos, por falência múltipla dos órgãos. Familiares, comunidade escolar e amigos lamentam o momento de partida de uma das mulheres mais reverenciadas da educação baiana.
(Veja sua Biografia, Click Abaixo)



Magali nasceu em 25 de dezembro de 1950 no Rio de Janeiro e viveu lá até a conclusão do curso de bacharelado em Letras, pela UFRJ, em 72. Ainda no final da década de 60, Magali começou a lecionar no Colégio São Sebastião, em Copacabana. Em 73, mudou-se para Salvador, licenciou-se em Letras e lecionou no Colégio Dois de Julho, onde passou a ter a convicção de que “a educação é o único instrumento de intervenção e transformação do mundo”.

Com a fundação do Colégio São Paulo em 77, passou a dar aulas de Literatura, Gramática e Redação. Permaneceu na escola por mais de 20 anos. No período, foi convidada a participar do Conselho Estadual de Educação. Trabalhou também em outras escolas renomadas, como Vieira, Marista, Nobel, Social e foi uma das professoras fundadoras do Anchieta.

Em 1989, fez parte da equipe fundadora do Colégio Oficina Salvador (cujo nome é inspirado no clássico teatro que foi símbolo de resistência à ditadura no Brasil) e do pioneirismo na metodologia de projetos, conceito e fundamentação prática que Magali trouxe para Vitória da Conquista.

Foi uma das principais artífices do projeto do Colégio Oficina Conquista, inaugurado em 2008. Incansável, imprimiu no cotidiano da escola o corpo e a alma da educação que fez da instituição uma das mais importantes e reverenciadas de Vitória da Conquista. Por sua entrega e dedicação à educação e à cidade, recebeu, em novembro de 2015, o título de cidadã conquistense, proferido pela Câmara Municipal.

Com quase 50 anos de trajetória na educação da Bahia, Magali foi sinônimo de transformação. Durante a pandemia, trabalhou incessantemente com sua equipe no desenvolvimento do projeto pedagógico que, com excelência, manteve a escola viva e atuante até o retorno presencial aprovado pelas autoridades. Na ocasião, chegou a afirmar: “Este tempo difícil vai passar, voltaremos a nos abraçar, num momento plenamente feliz. Aprendemos muito sobre solidariedade, dedicação, empenho. Sobre proteger e amar o outro e, principalmente, prosseguir no caminho”.

Brilhante, dentro e fora da sala de aula, traçou uma história e trajetória cumprida com distinção, olhar apurado, sensibilidade, gratidão e amor à educação. “Me orgulho de ser mulher, de ser educadora e de fazer parte da natureza humana”.

Magali deixa um legado, filhas, neto e amigos. Por desejo próprio e decisão familiar, não haverá velório. O corpo será cremado em cerimônia privada realizada em Salvador. As homenagens públicas serão prestadas em momento posterior.

0 comentários:

Postar um comentário

Não será publicado comentário ofensivo ou com palavras de baixo calão,nem será aceito qualquer tipo de preconceito