i

i

chp

chp

Câm.

Câm.

itac. mul

itac. mul

Itac

Itac

Ag. Pmi

Ag. Pmi

RC

RC

Jaç.

Jaç.

Chapa

Chapa

PRF

PRF

Adsense




Itabuna- Departamento de Controle e Ordenamento do Uso do Solo realizou 18 demolições neste ano

                                           
Até o mês de setembro, pelo menos 18 estruturas que ofereciam risco de desabamento foram demolidas em Itabuna. O número foi apresentado pelo Departamento de Controle e Ordenamento do Uso do Solo (DCOUS) da Secretaria de Infraestrutura e Urbanismo (SIURB), que atua em parceria com a Diretoria da Defesa Civil, órgão que, através de   laudos, constatou o risco dos prédios. 

(Saiba Mais, Click no Ícone Abaixo)




O diretor do DCOUS,  engenheiro Joaquim Rodrigues Filho, disse que em áreas particulares, o proprietário é notificado para que ele mesmo faça a demolição da estrutura. “ Quando a área é  do município, removemos por segurança”, explicou. Ele fez um  balanço das ações do Departamento de Controle e Ordenamento do Uso do Solo, entre 2021 e 2022. 
 
O engenheiro afirma que ainda existem áreas invadidas em bairros da cidade, a exemplo da Rua da Bananeira. Joaquim lembra em dezembro  de 2021, durante  as enchentes que atingiram Itabuna,  todas as famílias residentes por segurança nos imóveis precisaram ser retiradas. 

“Estamos fiscalizando para evitar que as pessoas construam as casas novamente. Já existe  um projeto do prefeito Augusto Castro para revitalizar toda aquela região, deslocando as famílias para imóveis em áreas seguras. A construção das novas moradias será executada com recursos federais e estaduais”, falou. 

Toda construção irregular deve ser demolida. No entanto, a Prefeitura notifica o morador antes. As informações são repassadas à Procuradoria-Geral do Município que avalia se o local  deve ser demolido ou não, informa Joaquim. “Por isso, a recomendação é que as pessoas deem entrada na documentação e projeto antes de começar a construir”, orientou. 
 
“Em  1 ano e 10  meses,  a  gestão do prefeito  Augusto Castro entregou 189 documentos de habitabilidade, que asseguram a legalidade do imóvel.  Muitos processos estavam engavetados ou com a tramitação suspensa, porque as pessoas tinham  dificuldade de como proceder para legalizar”, frisou Joaquim. 

Segundo ele, tiveram ainda 122  levantamentos cadastrais  até setembro, 50 licenças  para construção, que são os alvarás e 152 obras embargadas. O Departamento de Controle e Ordenamento do Uso dos Solo conta, atualmente, com 10 fiscais de obras, cinco analistas, que são arquitetos e urbanistas,além de  engenheiros civis.

0 comentários:

Postar um comentário

Não será publicado comentário ofensivo ou com palavras de baixo calão,nem será aceito qualquer tipo de preconceito