i

i

chp

chp

Câm.

Câm.

itac. mul

itac. mul

Itac

Itac

Ag. Pmi

Ag. Pmi

RC

RC

Jaç.

Jaç.

Chapa

Chapa

PRF

PRF

Adsense




Seminário Integrador da Consciência Negra em Itabuna debateu práticas antirracistas


Professores da Rede Municipal de Ensino debateram sobre as práticas antirracistas  no Teatro Municipal Candinha Dória. A temática foi debatida no último dia  do 1ºSeminário Integrador da Consciência Negra, promovido pela Prefeitura de Itabuna, por meio da Secretaria Municipal da Educação, movimentos negros e universidades públicas, com o apoio da Fundação Itabunense de Cultura e Cidadania (FICC). Com o tema “Avanços, Caminhos e Perspectivas da População Negra”, 

(Saiba Tudo, Click no Ícone Abaixo)




durante o Seminário  professores de escolas municipais relataram casos de preconceito racial dentro das salas de aula e como fizeram para combater isso. Educadora da Escola Novo Horizonte, a professora Sara Bispo, disse que há sete anos trabalha práticas antirracistas com seus alunos.




 “Usamos a literatura para o trabalho de combate ao preconceito.  Os livros mostram  o cotidiano do nosso povo, que tem as mesmas potencialidades e belezas  que um branco tem”, ressaltou.  

Na quinta-feira, dia 10, segundo e último dia 1º Seminário Integrador da Consciência Negra, o professor da Universidade Federal do Sul da Bahia, Richard  Santos, falou que o combate ao racismo no ambiente escolar é adotado por uma minoria de instituições. “ Existe uma branquitude hegemônica que é dominante no país e  na sala de aula isso se reproduz muitas vezes por educadores”, ponderou.   

Na palestra, Richard  falou  que esse tipo de  debate precisa  acontecer mais vezes e não só no Mês da Consciência Negra, que acontece agora em novembro, que no dia 19 homenageia o herói Zumbi dos Palmares. A data foi instituída, oficialmente, pela Lei nº 12.519, de 10 de novembro de 2011, em  referência à morte de Zumbi, em 1695, no Quilombo dos Palmares – situado entre os estados de Alagoas e Pernambuco, no Nordeste do Brasil.

O secretário municipal da Educação, Josué Brandão Júnior, reforçou a necessidade de inserir a cultura afro-brasileira de forma positiva na grade curricular das escolas de nível fundamental, como prevê a Lei N. Federal nº 10.639. “É preciso extinguir do ambiente escolar qualquer atitude que menospreze as pessoas de cor negra. Vamos levar essa necessidade para 2023, quando será implantada a proposta no conteúdo escolar, através da formação de um Grupo de Tabalho”, afirmou. 

Na etapa final do Seminário, a mesa também foi composta pela professora senegalesa Coumba Diatta, doutoranda sobre a Presença da Mulher Afro-brasileira  no Candomblé na Universidade Federal de Santa  Catarina (UFSC)), que esteve em Itabuna para prestigiar ao  seminário. “ Lutar contra o racismo deve ser a bandeira de todos.  Precisamos lutar por um  mundo mais justo”, avaliou.

No primeiro dia, também houve a participação do professor Bas’Ilele Malomalo que  lançou o livro “A  Filosofia NTU” , editado pela Nandyala -  obra panorâmica sobre Filosofia Bantu, cuja perspectiva do NTU é central, assim como um apanhado dos encontros e confluências dessas com os seus pares Yorubá – Axé – e com as diversas cosmovisões dos povos originários destes territórios. Ele também é autor do livro “Diáspora africana e migração na era da globalização: experiências de refúgio, estudo, trabalho”, pela editora CRV.

Nascido na aldeia Idumbe, da etnia-nação Mongo-Ndegese, da República Democrática do Congo (RDC), o professor Malomalo é graduado em Filosofia pelo Institut Philosopicum Sant Francis-Xavier, de Mburyi-Mayi; doutor em Sociologia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita (UNESP, pesquisador do Centro de Estudos das Literaturas e Línguas Africanas e da Diáspora Negra (CLADIN).  

0 comentários:

Postar um comentário

Não será publicado comentário ofensivo ou com palavras de baixo calão,nem será aceito qualquer tipo de preconceito