i

i

chp

chp

Câm.

Câm.

Itac

Itac

Ag. Pmi

Ag. Pmi

RC

RC

Jaç.

Jaç.

car

car

Chapa

Chapa

PRF

PRF

Adsense




Itabuna em parceria com a Socializa produzirá hortigranjeiros no Conjunto Penal

  
A Prefeitura de Itabuna, através da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente (SEAGRIMA), em parceria com a Socializa, empresa responsável pela administração Conjunto Penal de Itabuna, vai realizar um programa de orientação e assessoria técnica para o plantio de hortifrutigranjeiros em área do presídio. A ação da SEAGRIMA se dará na prestação de assistência técnica rural, onde os internos serão orientados do plantio à colheita. Esse acompanhamento será realizado pelo Departamento de Agricultura.

(Saiba Mais, Click no Ícone Abaixo)





A área do projeto será de um hectare para plantação de coentro, couve, alface, tomate, pimentão, maracujá, maxixe, quiabo, cenoura, aipim, dentre outros cultivos, e visa atender cerca de 800 detentos e 400 funcionários da unidade prisional, levando segurança alimentar e nutricional para esse pessoal.


A ação contará com o apoio do Instituto Biofábrica de Cacau que vai realizar a doação de cerca de 3.000 mudas de aipim para o Projeto da SEAGRIMA com a Socializa.


Segundo o vice-diretor do Conjunto Penal de Itabuna, Bruno Pitanga, além de utilizar essa produção para fazer parte da alimentação dos internos, parte será doada para o projeto Bahia Sem Fome do Governo do Estado, que visa garantir segurança alimentar e nutricional para a população em vulnerabilidade social.

 disse que o projeto é de extrema importância para promover a ressocialização dos internos, bem como busca levar alimentos de boa qualidade para sua alimentação. Seguindo determinação do prefeito Augusto Castro (PSD), a Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente vem ampliando a produção de hortifrutigranjeiros com o intuito de promover a agricultura familiar do Município.


0 comentários:

Postar um comentário

Não será publicado comentário ofensivo ou com palavras de baixo calão,nem será aceito qualquer tipo de preconceito