i

i

chp

chp

Câm.

Câm.

itac. mul

itac. mul

Itac

Itac

Ag. Pmi

Ag. Pmi

RC

RC

Jaç.

Jaç.

Chapa

Chapa

PRF

PRF

Adsense




Egresso da Uesc, diplomata ilheense fez palestra na Universidade

 


O diplomata ilheense João Lucas Ijino Santana, egresso do curso de Línguas Estrangeiras Aplicadas às Negociações Internacionais (LEA/NI) da Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), realizou palestra no Auditório Jorge Amado, no campus Professor Soane Nazaré de Andrade, nesta terça-feira, dia 9 de abril. Na oportunidade, Ijino, que ocupa posto diplomático em Lima, no Peru, abordou o tema “Geopolítica em tempos de crise: A inserção internacional do Brasil em um mundo em transformação”. (Saiba Mais, Click no Ícone Abaixo)



O evento foi promovido conjuntamente pelo Colegiado do Curso de LEA/NI, pela Assessoria de Relações Internacionais (Arint) e pelo Centro Acadêmico Barão do Rio Branco, através da iniciativa da professora Claudete Rejane Weiss.  Compareceram à palestra, o vice-reitor, professor Maurício de Santana Moureau a reitora da Uesc (2012-2019), professora Adélia Pinheiro, o assessor de Relações Internacionais, professor Samuel Mattos, o coordenador do colegiado do (LEA/NI), professor Jorge Onodera, além de docentes, estudantes e servidores técnicos.

Ao iniciar a palestra, o diplomata disse que a palavra crise descreve o momento atual dfa conjuntura mundial. Ele explicou que existem diferentes tipos de crises atualmente: de segurança, estruturais, climáticas (que podem não parecer, mas elevam a desigualdade em nível global), sanitárias e migratórias. Sendo que esses temas originam-se em três pilares, o político, econômico e comercial.

Ijino Santana fez um relato sobre a história da diplomacia brasileira e destacou a importância da atuação do Brasil no contexto da América Latina e no mundo. Além de descrever a realidade mundial no pós-guerra e no período da guerra fria, ele afirma que houve um ponto de virada do pensamento político mundial a partir do episódio do 11 de setembro de 2001, com o ataque às Torres Gêmeas nos Estados Unidos.

No que se refere ao Brasil, ele destaca a posição neutra do país em conflitos internacionais, o desejo por uma América do Sul cada vez mais integrada e a importância em sediar a cúpula do G20, no Rio de Janeiro, em novembro deste ano, e a COP30, em 2025, em Belém, no Pará.  João também compartilhou suas experiências na busca de ingressar Instituo Rio Branco e na forma de atuar no meio diplomático como homem negro.

Com mais de dez anos de carreira, o diplomata ilheense, em sua primeira missão, foi designado para a Embaixada do Brasil no Haiti, onde desempenhou, entre outras funções, a chefia do Setor de Cooperação Técnica e Humanitária da Embaixada. Na Argentina, seu segundo posto, Ijino chefiou o Setor Econômico da Embaixada. Durante a pandemia de covid-19, integrou força tarefa responsável pela repatriação de milhares de brasileiros. Atualmente, chefia o Setor de Promoção Comercial, Atração de Investimentos e Turismo da Embaixada do Brasil no Peru, onde atua para promover as exportações brasileiras, atrair investimentos e promover os destinos turísticos brasileiros.

0 comentários:

Postar um comentário

Não será publicado comentário ofensivo ou com palavras de baixo calão,nem será aceito qualquer tipo de preconceito