i

i

chp

chp

Câm.

Câm.

itac. mul

itac. mul

Itac

Itac

Ag. Pmi

Ag. Pmi

RC

RC

Jaç.

Jaç.

Chapa

Chapa

PRF

PRF

Adsense




Em Brasília, vice-presidente da UPB e mais prefeitos reforçam a mobilização mensal...

De acordo com a definição do Movimento Municipalista Nacional de realizar uma reunião mensal com o objetivo de pressionar o Congresso Nacional e o Governo Federal pela aprovação das pautas de interesse dos municípios, aconteceu na manhã desta terça-feira (4) mais uma mobilização na capital federal, com o tema central reforma Tributária e os impactos aos Municípios.  A União dos Municípios da Bahia (UPB) foi representada pelo seu vice-presidente e prefeito de Amargosa, Júlio Pinheiro. O encontro entre gestores de todo o país ocorreu na sede da Confederação Nacional de Municípios (CNM).

(Saiba Tudo, Click no Ícone Abaixo)




Durante o encontro, Pinheiro mostrou preocupação com a diminuição de arrecadação por causa de desonerações. “Precisamos ter clareza de que não haverá perda de arrecadação a partir de programas de desoneração de tributos por parte da União e dos estados. Esse fato impacta principalmente os municípios de pequeno porte, que dependem essencialmente das transferências dos estados e da União para sobreviver e manter os serviços públicos”, alertou.

O presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, fez uma breve retrospectiva sobre diversos pontos dentro das discussões de reforma tributária e lembrou que a CNM participou ativamente defendendo que o texto atendesse aos interesses dos Municípios. “Nossa entidade foi ouvida nesse relatório e em várias situações foram contempladas e sempre trabalhamos em prol de ações do conjunto dos Municípios e não em favor de um ou de outro”, destacou.

O vice-presidente da UPB  destacou, ainda, como essas mobilizações mensais serão importantes para “fortalecer a luta por melhor qualidade de vida e melhores serviços à população baiana”. Mais uma vez a unidade e alinhamento dos gestores da Bahia fizeram a diferença na reunião. Discutimos pautas importantes como a reforma tributária, melhoria na arrecadação e a desoneração do consumo para que as pessoas que mais precisam paguem menos impostos. Também fizemos um debate sobre a importância da redução da alíquota do INSS. Vamos seguir firmes, lutando para que, junto com o governo federal e estadual, a gente consiga ampliar a nossa capacidade de prestar serviços a população”, resumiu

0 comentários:

Postar um comentário

Não será publicado comentário ofensivo ou com palavras de baixo calão,nem será aceito qualquer tipo de preconceito