i

i

chp

chp

Câm.

Câm.

Itac

Itac

Ag. Pmi

Ag. Pmi

RC

RC

Jaç.

Jaç.

car

car

Chapa

Chapa

PRF

PRF

Adsense




Marcha do Agosto Lilás- A SEMPS Realiza Campanha em Praça Central de Itabuna


As celebrações do Agosto Lilás, campanha de enfrentamento à violência doméstica contra a mulher, começaram nesta terça-feira, dia 8, na Praça Adami no centro de Itabuna. A Prefeitura, por meio da Secretaria de Promoção Social e Combate a Pobreza e o Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM) Isabela Seara, ofereceram testes rápidos para a detecção de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), pressão arterial, glicemia, orientação nutricional e jurídica.

(Veja o Vídeo e as Fotos desse Evento, Click no Ícone Abaixo)





 A Marcha Lilás, como é chamado o evento, vai acontecer durante todo o mês, com um trabalho de conscientização nos bairros onde há maior presença de mulheres com histórico de algum tipo e violência.




“Essas visitas serão feitas com base nos números coletados na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (DEAM). Vamos de porta em porta para ressaltar a importância da denúncia”, disse o secretário  de Promoção Social e Combate à Pobreza, Josué Brandão Junior.


A Marcha Lilás teve a presença de equipes da secretaria municipal da Educação,  da Patrulha Guardiã Maria da Penha da Guarda Civil Municipal, subsecção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e Defensoria Pública da Bahia.

“Fizemos uma reunião preparatória com a Rede de Apoio que se preocupa com a mulher que faz denúncia e cobra políticas públicas voltadas a combater esse mal, que é a violência contra as mulheres”, falou o secretário.

 


Segundo dados da Delegacia Especial de Atendimento  à Mulher (DEAM) de janeiro a junho deste ano foram  contabilizadas 650 denúncias de mulheres vítimas de algum tipo de violência no município. A procuradora do município e representante jurídica do CRAM, Juliana Reis, afirma que  Itabuna  registrou três feminicídios e uma tentativa nos últimos dias.


“No CRAM as mulheres chegam por demanda espontânea ou encaminhadas pela Rede de Apoio. Lá, elas têm atendimento com assistente social, jurídico e psicológico para sair desse  ciclo de violência”, falou.


Atualmente, o Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM) Isabela Seara presta atendimento a 150 vítimas. As que já foram desligadas do  Centro seguem para o CRAS.



“Se houver necessidade  de acolhimento, encaminhamos  para  um casa abrigo. Mas, após a alta do CRAM outras mulheres chegam. Por isso, nossos atendimentos estão sempre altos”, explicou Juliana. 



Nossos agradecimentos ao secretário de Trânsito Thales Silva pela cooperação ao evento, onde agentes de trânsito deram total apoio na coordenação do trânsito




0 comentários:

Postar um comentário

Não será publicado comentário ofensivo ou com palavras de baixo calão,nem será aceito qualquer tipo de preconceito