i

i

chp

chp

Câm.

Câm.

Itac

Itac

Ag. Pmi

Ag. Pmi

RC

RC

Jaç.

Jaç.

Chapa

Chapa

PRF

PRF

Adsense




Desfile Cívico da Independência da Bahia lota a Orla de Itacaré

Itacaré realizou na tarde do 2 de julho, um dos maiores desfiles cívicos do município, em comemoração ao especial Bicentenário da Independência, nos 200 anos que marcam a liberdade da Bahia. Marcado pela presença do povo, a Orla da cidade lotou, com itacareenses e turistas, que vibravam a cada apresentação e personagem na avenida, como a Catita, símbolo da nossa gente. O povo, a brava gente guerreira que, com sangue e coração valente, garantiram a liberdade da nação. 
(Veja Tudo, Click no Ícone Abaixo)






Todos eles representados nos personagens trazidos com muita maestria ao público. A Prefeitura de Itacaré, através das suas secretarias municipais, encabeçadas pela Educação e Turismo e Cultura, assim como pelas mãos da tradicional família Quadros; precursora do 2 de julho, em Itacaré, realizaram nesta tarde, um maravilhoso desfile cívico.

Além de grande público presente, autoridades municipais também prestigiaram o evento, o vice-prefeito, Genilson Souza, vereadores, secretários municipais, autoridades religiosas, políticas e militar. Presentes também os professores, diretores e alunos, além da Fanfarra de Taboquinhas; Bamuta, da Fanfarra de Teofilândia e todas as escolas que participaram e abrilhantaram o desfile.

OS NOSSOS HERÓIS 



CABOCLA CATITA



Esta figura simbólica foi criada para homenagear os batalhões e os heróis de 1823, que pela bravura e coragem, lutaram pela Independência e fazem tese em referência a nossa origem e a mistura, miscigenação e a formação dos vários povos que compõem o povo baiano.


CARAMURU E PARAGUAÇU:



Diogo Álvares Correia, conhecido como Caramuru, foi um dos primeiros portugueses a se estabelecer na Bahia. Caramuru se casou com Paraguaçu, filha do cacique Taparica da tribo Tupinambá. Caramuru e 

Paraguaçu formaram a primeira família miscigenada brasileira. Sua história serve de reflexão para o resgate da cultura indígena e também para a importância de valorizarmos as múltiplas culturas que constituem nosso povo brasileiro.

                                   POVOS INDÍGENAS:



Diversos povos indígenas já aqui viviam, muito tempo antes da chegada dos portugueses. Os indígenas, embora tendo suas terras invadidas, costumes e religião atrofiados, também participaram em diversas lutas pelo território brasileiro.


MARIA FELIPA, MARISQUEIRAS:


Natural de Itaparica, a heroína negra foi uma liderança destacada nas lutas pela independência. Na Ilha de Itaparica, comandou 

dezenas de homens e mulheres, negros e índios, na queima de 42 embarcações portuguesas durante a batalha de 7 de janeiro de 1823. Filha de negros escravizados, era uma mulher alta e forte, foi capoeirista, marisqueira, 

pescadora e trabalhadora braçal.


MARIA QUITÉRIA: 



A maior heroína nas lutas pela Independência da Bahia no Brasil. Ao ficar sabendo sobre as lutas, conseguiu uma farda do exército e se alistou como soldado Medeiros no Pelotão dos Periquitos sediado em Cachoeira, para combater as tropas portuguesas. Ela se destacou por sua bravura, foi descoberta, mas continuou lutando e chegou a receber condecoração de D. Pedro I.


JOANA ANGÉLICA:



Joana Angélica, religiosa, cristã-católica da Ordem das Reformadas de Nossa Senhora da Conceição e Abadessa do Convento da Lapa. Heroína da Independência, nasceu em Salvador. Sua participação deu-se quando a mesma se colocou diante dos soldados: “Respeitem a casa de Deus, vocês só entram aqui por cima do meu cadáver.


GENERAL LABATUT



Foi quem assumiu o exército brasileiro das mãos do coronel Joaquim Pires de Carvalho e começou a enfrentar o exército português. Considerado um homem duro, Labatut conseguiu reestruturar as tropas e reerguer a vontade pela liberdade do Brasil.


JOÃO DAS BOTAS


Destacou-se como um dos principais responsáveis pela defesa naval da ilha de Itaparica diante das tropas portuguesas sob o comando do Governador das Armas da Bahia, Inácio Luis Madeira de Melo. A sua bravura e vitórias conquistadas culminaram com o 2 de julho de 1823, alçando-o à condição de herói nacional. 


SAIBA MAIS LENDO SOBRE:

LORD COCHRANE, CORNETEIRO LOPES, CORTE PORTUGUESA NO BRASIL E DEMAIS ASSUNTOS RELACIONADOS A INDEPENDÊNCIA DA BAHIA.

0 comentários:

Postar um comentário

Não será publicado comentário ofensivo ou com palavras de baixo calão,nem será aceito qualquer tipo de preconceito